segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Bolinho de beterraba e cacau

Aqui em casa, já faz um tempo que temos preferido consumir alimentos orgânicos, agroecológicos ou de origem conhecida, sempre que possível. Ontem mesmo, fiz a feira da semana trazendo batata doce, chuchu, laranja, lima, limão, tomate cereja e ora pro nobis colhidos da casa do meu pai, pela minha irmã e minha madrasta. No fim de semana anterior, trouxe couve, salsinha, cebolinha, coentro, manjericão e hortelã do sítio de um amigo. Sabendo que só uso ovos caipiras, semana passada minha mãe me deu uma dúzia trazida da fazenda de uma vizinha.

Mesmo para quem não tem amigos ou familiares que produzam, hoje em dia há em nossa cidade muitas opções de cooperativas que entregam em casa, semanalmente, cestas de frutas, legumes e verduras a preços bem razoáveis. Além disso, nós sempre vamos atrás das feirinhas de produtores, já que nos supermercados os valores dos orgânicos ainda são muito altos e os alimentos convencionais muitas vezes estão em péssimas condições e rolando pelas gôndolas sabe-se lá há quanto tempo...

Na última quarta-feira, descobri que toda semana passa uma caminhoneta na porta de casa com alimentos trazidos diretamente do Ceasa. São frutas, legumes e verduras frescas, selecionadas e higienizadas. Os alimentos chegam organizados em cestinhas, e já vêm contados ou pesados, separados em saquinhos, assim como nas feirinhas. Adorei esse sistema, não só pela qualidade, mas também pela praticidade. Escolhi alguns maracujás, tangerinas, bananas e MUITAS beterrabas, que estavam lindas!

E a receita de hoje é em homenagem a elas. Proponho uma versão adaptada da chef Claire Bonnemasou, do Cozinha Aí, que elabora produtos para pessoas com restrições a glúten, lactose e soja. E então, mãos à massa?!


INGREDIENTES
  • 2 ovos
  • 80 mL de óleo de côco
  • 120 g de beterraba descascada
  • 100 g de açúcar de côco (ou mascavo ou demerara)
  • 80 g de cacau em pó (ou chocolate em pó)
  • 120 g de farinha de arroz
  • 1 col. (chá) de fermento em pó

MODO DE FAZER

1. Bater no liquidificador os ovos, a beterraba e o óleo.
2. Acrescentar o açúcar e o cacau e bater mais.
3. Em um recipiente, peneirar a farinha com o fermento.
4. Adicionar a mistura do liquidificador ao recipiente e misturar bem.
5. Colocar em forminhas de cupcake (rende 12 cupcakes) ou em forma convencional untada com óleo de côco e cacau em pó.
6. Assar em forno pré-aquecido a 200°C por 30 a 40 min, ou na airfryer por 20 min.


Massa pronta pra assar

Este bolinho fica incrivelmente fofinho e gostoso! E embora a massa seja bem vermelhinha (vide a foto acima!), o bolinho assado fica apenas levemente avermelhado, com uma cor mais puxada para o chocolate. O sabor é de um bolo de cacau mesmo, com um fundinho adocicado da beterraba.

Taí o bolinho pronto: lindo, saudável e delicioso! Pra completar, que tal este ganache de chocolate meio amargo pra colocar por cima? Também fica uma delícia com a mousse de limão e cream cheese que ensinei aqui. (Atenção, o bolinho é #SemGlúten e #SemLactose, mas ambas as coberturas contêm lactose!). Bom apetite!


Bolinhos recém saídos do forno!

quinta-feira, 16 de março de 2017

Torta colorida de pão de forma

Essa é a releitura de uma das receitas da minha infância! Todo ano no meu aniversário sempre tinha essa torta salgada, coberta com bastante maionese. Ao parti-la, a gente via aquelas várias camadas da cor do arco-íris, lindas aos olhos das crianças que mal sabiam quantas verduras e legumes estavam propositalmente "escondidas" nessa tortinha colorida! Eu sabia, claro, a origem de tantas cores, pois adorava ajudar minha mãe a preparar os recheios e a montá-la.

Agora que já somos crescidos, podemos falar abertamente sobre os recheios sem esperar cara feia, certo? Pois bem, eu nunca tive problemas de comer nada quando criança. Tirando as famigeradas azeitonas, eu provava de tudo e comia de tudo, com o maior gosto! Lá em casa a gente sempre comeu de tudo mesmo, graças aos meus pais, que sempre nos fizeram experimentar todo tipo de comida e que sempre tiveram o cuidado de nos dar uma alimentação bem nutritiva e variada. Nós sabíamos os nomes e as principais qualidades de cada alimento do sacolão. Mas eu sei que isso não era muito comum entre as outras crianças.

Por isso eu tinha um pacto com minha mãe. A gente não contava que o "suflê de queijo com temperinho verde" era na verdade suflê de chuchu.  Que a "maçã vermelha da Branca de Neve" era beterraba cozida. Que a "salada de arvorezinhas" eram couve-flor e brócolis refogados. Que a "carne de rodelinha com batatas" era língua de boi recheada. Que o "caldinho de feijão preto batido" também continha couve, ovo e fígado camuflados. Hoje em dia, acredito (e espero!) que as crianças (e mesmo adultos) não precisem mais destes artifícios mirabolantes para comer de tudo. Mas caso você tenha esse problema em casa, a torta colorida de pão de forma continua sendo uma boa opção!


INGREDIENTES
  • 2 pacotes de pão Pan Blanco Schär
  • 12 colheres (sopa) de creme de ricota
  • 1 xícara (chá) de cenoura ralada
  • 1 xícara (chá) de beterraba ralada
  • 1 xícara (chá) de espinafre picado
  • 1 xícara (chá) de frango desfiado
  • 1 colher (sopa) de alho picado
  • 1 colher (sopa) de cebola picada
  • Sal e pimenta do reino a gosto
  • Azeite para refogar
  • Salsinha para decorar (opcional)

MODO DE FAZER

1. Preparar as fatias de pão: cortar as bordas dos pães para obter 20 fatias de pão sem casca, em formato retangular, com aproximadamente 8 x 5 cm. Reservar.
2. Preparar 3 camadas de recheios: refogar cada um dos vegetais separadamente (cenoura, beterraba e espinafre) com azeite, alho, sal e pimenta do reino a gosto. Depois que esfriar, adicionar a cada um dos vegetais refogados 3 colheres (sopa) de creme de ricota e misturar bem.
3. Preparar a cobertura: refogar o frango desfiado com azeite, cebola, alho, sal e pimenta do reino a gosto. Depois que esfriar, adicionar 3 colheres de creme de ricota e misturar bem.
4. Montar as tortinhas: com camadas alternadas de pão e recheio, seguindo a ordem pão / recheio de cenoura / pão / recheio de beterraba / pão / recheio de espinafre / pão / cobertura de frango.
5. Rende 5 tortinhas individuais. Se desejar, decorar com ramos de salsinha por cima de cada tortinha. Ela fica mais gostosa ainda se gelada.

DICA

Com as aparas e cascas de pão, pode-se fazer croutons: Cortar em cubinhos de 1 cm, dispor em uma assadeira antiaderente e regar com azeite, flor de sal, pimenta rosa e alecrim. Assar a 180°C, até dourar. Acompanha bem saladas e sopas e pode ser guardado por até 5 dias.

Torta colorida de pão de forma

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Double cake de goiabada cremosa

Todo mundo já ouviu falar em bolo de milho ou de fubá, com pedacinhos de goiabada, né? É uma verdadeira delícia! Mas já pensou num bolo feito de goiabada cremosa? Imagina todo o sabor da goiabada, concentrado na textura de um bolo bem fofinho? Eu nunca tinha visto nada parecido até ter esta ideia de incorporar a goiabada na massa do bolo. E adoro testar coisas novas!

Outra invenção foi a de usar arroz cozido na massa. Eu já fiz aquela receita de bolo que usa arroz cru no lugar da farinha, que todo mundo já viu por aí nos grupos de whatsapp ou em vídeos do facebook (que é uma super invenção!), mas usar arroz cozido eu nunca vi. Como eu cozinho com pouquíssimo sal e não costumo usar temperos extravagantes no arroz branco, foi fácil incorporá-lo na receita sem comprometer o sabor.

Pois essa foi uma receita super experimental e o resultado me surpreendeu! Prove este bolo bem quentinho com uma calda de goiabada (basta colocar no fogo com um pouquinho de água para ficar mais fininha a ponto de usar como cobertura)... Pronto: temos um double cake de goiabada cremosa. Experimente e também irá se surpreender!


 INGREDIENTES
  • 3 ovos
  • 2 col. (sopa) de óleo de côco
  • 1 xíc. (chá) de açúcar de côco (ou mascavo ou demerara)
  • 1 xíc. (chá) de goiabada cremosa
  • 1/2 xíc. (chá) de água
  • 1 xíc. (chá) de arroz cozido
  • 1 xíc. (chá) de farinha de arroz
  • 2 col. (chá) de fermento em pó

MODO DE FAZER

1. Bater no liquidificador os ovos, o óleo, o açúcar, a goiabada, a água e o arroz.
2. Em um recipiente, peneirar a farinha com o fermento.
4. Adicionar a mistura do liquidificador ao recipiente e misturar bem.
5. Colocar em uma assadeira para pão de forma de teflon (não precisa untar).
6. Assar em forno pré-aquecido a 200°C por 30 a 40 min.

 
Bolo fofinho e gostoso de goiabada em dose dupla!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Bolo verde fofinho de gelatina com mousse de limão e cream cheese

Essa delícia é muito fácil de fazer e me surpreendeu pela fofura! Como cresce, é impressionante! Mais uma receita inspirada nas maravilhas da coluna da Mari Muniz, no blog da Dani Noce, ICKFD. Pra quem tiver curiosidade, vai aqui neste link a receita original da Mari, minha inspiração.

A minha inovação foi a mousse de limão com cream cheese, que é uma ideia simples para aprimorar a mousse de limão tradicional. Substituindo o creme de leite pelo cream cheese, conseguimos uma consistência mais durinha e um sabor mais especial.

A maior vantagem dessa receita é que dá pra fazer tudo no liquidificador e não tem mistério ou segredo. Dá certo e pronto. Então, vamos lá!

Bolo verde fofinho

Ingredientes:
  • 2/3 xícara de óleo de canola ou de milho
  • 4 ovos
  • 1 pacote de gelatina sabor limão
  • 1 ½ xícara de açúcar cristal
  • 2/3 xícara de iogurte natural
  • ½ xícara de água
  • 1 colher de sopa de suco de limão
  • Raspas de 1 limão
  • 3 xícaras de farinha sem glúten (eu usei a Mix Dolci Schär)
  • 1 colher sopa de fermento químico em pó

Modo de fazer:

Bater tudo no liquidificador, exceto as raspas de limão, a farinha e o fermento. Passar a mistura do liquidificador para uma bacia e peneirar a farinha com o fermento, misturando tudo com cuidado. Por último, acrescentar as raspas de limão. Untar uma forma com manteiga e farinha sem glúten (eu usei uma forma redonda de 22 cm, com papel manteiga no fundo). Assar em forno médio, pré-aquecido, por aproximadamente 1 hora, ou até que fique dourado. Desenformar ainda morno.


Mousse de limão com cream cheese

Ingredientes:
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 caixinha de cream cheese
  • Suco de 1 limão grande

Modo de fazer:

Bater tudo no liquidificador e levar à geladeira em recipiente tampado ou protegido por papel filme, até a hora de consumir.

Bolo verde fofinho de gelatina com mousse de limão e cream cheese

Updating: Também fiz com gelatina de framboesa e ficou M-A-R-A!

Bolo fofinho de gelatina na versão framboesa cor-de-rosa

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Churros con dulce de leche

Hoje fizemos churros aqui em casa. Contei com a ajuda do meu irmão, que estava com desejo e me pedindo desde ontem. Além disso, ele é fanático por doce de leite e toda vez que viaja traz um diferente pra gente provar. Então, pra fazer valer o último dulce de leche que ele trouxe, escolhemos esta receita. Não tem erro. Eu já havia feito antes e, sério: ficam perfeitos, exatamente como os que eu me lembro de comer nos velhos tempos. O fato de ser sem glúten não prejudica em nada a crocância de fora, a textura macia de dentro e o sabor delicioso.

Churros con dulce de leche

Esta receita é da minha querida Mari Muniz, responsável pela coluna de receitas sem glúten nem leite no site da linda Dani Noce, I could kill for dessert. O ICKFD foi a minha mais feliz descoberta dos últimos tempos, pois adoro tudo quanto é receita e inspiração que vem da Dani. Ela é super cuidadosa na descrição e com as medidas das receitas. Além de tudo, as fotos são um capricho! De querer comer com os olhos! Desde as receitas mais tradicionais até para dias de invenções mirabolantes, sempre que busco receitas vou lá dar uma olhadinha pra ver como a Dani fez.

Bom, aí pra completar minha felicidade, descobri no ICKFD a coluna da Mari. Sempre que alguém vem me perguntar sobre receitas sem glúten, me conta que foi diagnosticado ou que conhece alguém com doença celíaca, indico a coluna da Mari. Simplesmente porque tudo, tudo mesmo, dá certo! E isso é fantástico quando você começa a querer cozinhar sem glúten. Receitas que eu jamais acreditaria que dariam certo na versão gluten free ficam maravilhosamente boas quando desenvolvidas pela Mari. Sim, ela é uma mistura de cientista e fada. Estuda, testa, modifica e testa novamente as receitas, diversas vezes, até chegar na fórmula ideal. E ela é bem exigente, viu? Então se ela posta um receita, pode fazer de olhos fechados, pois vai dar certo. E assim fica bem mais fácil ser feliz sem glúten, né?!

Como a receita está super bem explicadinha lá no site, basta vocês clicarem neste link e seguir passo a passo. É rápida e simples. Se fizer direitinho ficam perfeitos, garanto. A única dica que eu dou, é que você arrume um ajudante bem disposto como o meu irmão, pois em algumas etapas é difícil coordenar tudo sozinho.

E depois é só se deliciar. Estes são os meus! Fizemos mais de 30 churros e comemos tudo de uma vez! Adivinha se ficou bom?

Produção de churros

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Torta de pistache com chocolate branco e frutas vermelhas

Esta é uma torta fina e delicada, com sabores e texturas diferentes que se completam em harmonia! Fiz pela primeira vez no aniversário do meu amor, Julian. Preparei uma ceia sírio-libanesa completa e, para sobremesa, escolhi especiarias orientais e pistache, criando esta combinação inusitada. Outra receita que é sucesso garantido aqui em casa!

INGREDIENTES

Para a base:
  • 125 g (1 caixa) de biscoito Maria Schär 
  • 1 colher (chá) das seguintes especiarias, misturadas a gosto: canela em pó, noz moscada, cravo da índia, gengibre em pó, cardamomo em pó e pimenta branca
  • 60 g de manteiga sem sal 
Obs.: Pode-se optar pela substituição de 50 g de biscoito pelo Speculloos Schär. Neste caso, use apenas 75 g de biscoito Maria Schär e omita as especiarias.

Para o recheio: 
  • 300 g de cream cheese
  • 30 g de açúcar de confeiteiro
  • 125 g de chocolate branco sem glúten
  • 50 mL de creme de leite fresco
  • 80 g de pistache descascado, triturado fino
  • 1 gota de corante alimentício verde (opcional)

Para a cobertura: 
  • 200 g de frutas vermelhas frescas ou congeladas, a gosto (amora, framboesa, morango)
  • 2 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro
  • 1 colher (sopa) de nibs de cacau (opcional)

MODO DE FAZER

Para a base:

1. Triture bem os biscoitos, juntamente com as especiarias, no liquidificador, até obter uma farinha fina.
2. Num recipiente, misture bem a farinha com a manteiga.
3. Forre com papel manteiga o fundo de uma assadeira redonda de fundo removível, de 18 cm de diâmetro.
4. Sobre o papel manteiga, distribua a massa da base, alisando com o fundo de uma colher.
5. Leve ao forno em temperatura baixa (160-180°C) por aproximadamente 20 minutos, ou até que a massa esteja seca no teste com um palito.
6. Deixe esfriar durante a preparação do recheio.

Para o recheio:

1. Bata em uma batedeira o cream cheese com o açúcar de confeiteiro, até obter um creme volumoso.
2. Derreta em banho-maria o chocolate branco juntamente com o creme de leite fresco e deixe esfriar.
3. Misture o chocolate derretido ao creme de queijo e bata bem.
4. Adicione o pistache triturado e, se desejar, o corante para realçar a cor verde do recheio.
5. Despeje o recheio sobre a base já fria, cubra com filme plástico e leve à geladeira por cerca de 4 horas, até firmar.

Para a cobertura e finalização:

1. Em uma frigideira, misture as frutas vermelhas com o açúcar e cozinhe, até obter uma calda.
2. Retire a torta da geladeira, desenforme cuidadosamente, cubra com a calda de frutas e salpique os nibs de cacau para conferir uma textura crocante, antes de servir.

Rendimento: Serve de 6 a 8 pessoas (aproximadamente 12 fatias).

Torta de pistache com chocolate branco e frutas vermelhas

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Rocambole de carne recheado com bacon e abacaxi ao molho agridoce

Este prato suculento e de sabor delicioso foi inspirado em uma receita de família da minha avó. Fiz para receber minha Tia Magda (que também é celíaca) num almoço aqui em casa. S-U-C-E-S-S-O! Vamos à receita?

INGREDIENTES

Para a massa:
  • 400 g de carne de boi (acém) moída
  • 400 g de carne de porco (pernil) moída
  • 4 colheres (sopa) de salsinha verde picada
  • 4 dentes de alho e 1 cebola média, triturados
  • 100 g de farinha de pão sem glúten (4 fatias de Pão Rústico Schär torrado e finamente triturado no liquidificador OU farinha Pan Gratí Schär).
  • ½ colher (chá) de cominho em pó
  • 1 colher (chá) de páprica doce
  • ½ colher (chá) de sal
  • Pimenta do reino e noz moscada a gosto
  • ½ colher (chá) de molho inglês
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 ovo

Para o recheio:
  • 200 g de queijo prato (aproximadamente 12 fatias)
  • 250 g de bacon fatiado e frito (aproximadamente 20 fatias)
  • 200 g de abacaxi picado, caramelado com ½ colher (sopa) de mel e ½ colher (chá) de molho de soja (shoyu)

Para o molho:
  • 350 mL de suco de abacaxi coado
  • 2 colheres (sopa) de mel
  • 1 colher (sopa) de molho de soja (shoyu)
  • 2 colheres (sopa) de amido de milho

MODO DE FAZER

Para a massa:

1. Misture todos os ingredientes até obter uma massa homogênea e moldável.
2. Abra a massa sobre filme plástico numa superfície lisa e molde um retângulo de aproximadamente 30x40 cm, com 1,5 cm de altura.

Para o recheio e montagem:

1. Disponha todo o queijo sobre a massa, sobrepondo as fatias em duas camadas, e deixando uma borda de pelo menos 2 cm sem recheio.
2. Frite as fatias de bacon, seque bem com papel toalha e disponha sobre o queijo.
3. Disponha o abacaxi já caramelado juntamente com o bacon, distribuindo bem sobre as fatias de queijo.
4. Com ajuda do filme plástico, comece a enrolar a massa de um dos lados menores do retângulo, em direção ao sentido contrário, como um rocambole.
5. Faça um rolo apertado e finalize fechando as bordas externas com a massa, para o recheio não vazar.
6. Com o próprio filme plástico utilizado para enrolar, embale o rocambole e deixe-o por aproximadamente 2 horas na geladeira, para firmar.
7. Prepare uma assadeira com papel manteiga no fundo e uma folha de papel alumínio para cobrir.
8. Leve ao forno em temperatura média (200-230°C), mantendo o rocambole coberto nos primeiros 40 minutos e retirando o papel alumínio nos últimos 20 minutos.

Para o molho e finalização:

1. Misture todos os ingredientes do molho e leve ao fogo brando, até engrossar.
2. Para servir, regue o rocambole com o molho, fatie-o e sirva o restante do molho em uma molheira, à mesa.

Rendimento: Serve de 6 a 8 pessoas (aproximadamente 12 fatias.

Rocambole de carne recheado com bacon e abacaxi ao molho agridoce

sábado, 10 de setembro de 2016

Todo (Glutenfree) Summer tem seu fim... Fim de viagem... Grandes prêmios e lembranças pra guardar por toda vida!

Mapa completo, missão cumprida e muitas estórias de um verão sem glúten inesquecível!!! <3 <3<3

Olá amigos, estou de volta ao Brasil, enfim de volta à "vida real", depois da viagem dos meus sonhos... mas volto com memórias que ficarão pra sempre, de 1 mês cheinho de alegrias, passeios, surpresas e delícias! Mesmo depois do fim!

Após concluir meu roteiro, retornei para o South Tyrol para me encontrar com Marta, Nathalie e a equipe Schär. Ainda tivemos bons momentos juntos na confraternização de encerramento (claro, teve comilança da melhor qualidade!)

Fim de viagem e a confraternização de despedida do Glutenfree Summer

Para minha alegria, fui anunciada como vencedora em primeiríssimo lugar do Glutenfree Summer 2016!!! Só tenho a agradecer a todos que me acompanharam nesta viagem desde o início, que acreditaram que eu poderia chegar lá e viver este sonho e que seguiram meus passos nesta expedição pela Itália sem glúten! Esta vitória é também de vocês! Como prêmio, recebi dos patrocinadores Sony e Accer um smartphone, um tablet e um notebook que seguirão me acompanhando em muitas aventuras por aí! Não posso deixar de dizer que minhas companheiras, as queridas Marta e Nathalie, foram da mesma forma vencedoras! Só nós sabemos quantas aventuras vivemos e dividimos nesta viagem inesquecível! Beijos, girls!

We are the champions of the world!

Fiz um videozinho de encerramento que resume minha passagem pelo Glutenfree Summer e compartilho aqui com vocês:


Alguns registros da minha viagem também foram feitos pelo mundo! Aqui compartilho uma divertida entrevista (PodCast) que foi feita para o Blog alemão Zöliakie Austausch, a maior comunidade de celíacos em redes sociais do mundo, registrada numa tarde em Montaione pelo amigo Jürgen Schmidtlein. Beijo, Jürgen!

Também tive a oportunidade de dar 3 entrevistas para o Blog italiano Gluten Free Travel & Living, feitas pela queridíssima Fabiana Corami. As entrevistas podem ser lidas na íntegra aqui: Entrevista 1 / Entrevista 2 / Entrevista 3. Beijo, Fabi!

Também ficamos famosinhas pela reportagem na revista Your Life 2016, publicada em mais de 7 idiomas e distribuída por todo o mundo. Eu recebi um exemplar da revista em casa, junto com um cartão postal da equipe Schär da Itália. Lindo, lindo! Beijo, Schär Itália!

Edição 2016 da revista Your Life com as glutenfree girls!

E porque eu amo fotos, fiz um lindo álbum com todos os meus registros fotográficos da viagem, assim posso folheá-lo e reviver tudo sempre que der saudade!


Mas peraí que não acabou! Depois disso tudo, já aqui em terras brasileiras, tive ainda a oportunidade de ir visitar a Schär Brasil em Curitiba e conhecer toda a equipe que está aqui pertinho (todos muito queridos!) e rever a adorável Maibrit, da equipe italiana. Foi uma tarde muito gostosa preparada pra me receber com todo carinho, com direito a café da manhã, experimentar em primeira mão novas receitas de pães do Chef Marcos Fábio e conhecer os novos lançamentos Schär.

Schär. Como não amar?! - Equipe Schär Brasil

Enfim... faço propaganda mesmo, e faço muita, pois a Schär não só me proporcionou a chance de viver experiências maravilhosas com o Glutenfree Summer, como continua me surpreendendo e tornando a minha vida sem glúten cada vez mais mágica e feliz! Beijo, Schär! Muito obrigada!




quarta-feira, 31 de agosto de 2016

#11 Barberino di Mugello

Welcome to Barberino di Mugello!

O caminho até Barberino di Mugello era curto, se comparado aos demais destinos, portanto, parti sem almoçar. Claro, como de costume, levei comigo meus biscoitos Schär! Chegando ao resort Villa le Maschere, já fui logo recebida com uma taça de prosecco! Um luxo! Depois de me acomodar e dar uma conferida na bela vista da janela do meu quarto, desci para a área da piscina e comi um espetacular cheeseburger, acompanhado de um rosé, porque eu sou chique, né! Minha avaliação completa sobre este hotel já está disponível no site GlutenfreeRoads.





No tempo que passei neste luxuoso resort, aproveitei a oportunidade para curtir todas as mordomias a que eu tinha direito! Então eu realmente aproveitei cada instante no meu confortável quarto, na piscina e nos restaurantes. Depois de tomar um café da manhã perfeito, incluindo croissant sem glúten, queijo pecorino, salmão e atum defumados, mostardas e maioneses especiais e uma seleção de mel e compotas artesanais, eu fiquei de molho na piscina e tomando banho de sol. Difícil imaginar vida melhor que esta. Lá mesmo na piscina, almocei um carpaccio delicioso acompanhado de pão sem glúten, crocante e quentinho. Dali segui para o meu quarto e até isso foi perfeito, pois à tarde começou a chover e eu estava super bem acomodada. Aproveitei para atualizar meus posts finais sobre o #GlutenfreeSummer2016... Ainda assisti a um lindo pôr-do-sol com meu amor (ele em BH e eu na toscana, mas foi mágico mesmo assim!) e, finalmente, tive um jantar de rainha: um delicioso risotto de camarões com côco e maçã verde, divino... e de sobremesa uma torta fantástica, de chocolate com caramelo crocante e sorvete de banana com chips de banana e mel.


Na manhã de hoje, antes de partir, tomei mais um café especial e me preparei para pegar a estrada pela última vez. Já era dia de devolver o carro e reencontrar Marta e Nathalie em Bolzano!

E assim foi minha passagem por Barberino di Mugello! Agora retornamos para o ponto de partida onde tudo começou, e fim de viagem! Mas as novidades não terminam por aqui, portanto... Sigam-me os bons!

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

#10 Montaione

Welcome to Montaione!

Quando cheguei ao UNA Palazzo Mannaione, encontrei Marta e Jürgen conversando nas mesinhas ao lado da piscina. Jürgen é o nosso mais novo amigo neste #GlutenfreeSummer2016 e veio da Alemanha especialmente para nos entrevistar e registrar o tão aguardado momento do encontro entre as 3 viajantes. Depois de me acomodar, já fui diretamente encaminhada para a adega do hotel, onde, com as instruções do especialista Sr. Mozzini Loris, fizemos uma maravilhosa e inesquecível degustação de vinhos. Nathalie, que estava em uma vila próxima, também se juntou a nós para a degustação. Nos dias seguintes, pude curtir muitos momentos relaxantes, especialmente na piscina. Minha avaliação completa sobre este hotel já está disponível no site GlutenfreeRoads.




Foi em Montaione que aconteceu a noite tão esperada do "get-together of 3 travellers". Juntas, fomos às compras no supermercado Coop e, inspiradas no livro de receitas da Dr. Schär que recebemos ainda em Bolzano, selecionamos os melhores ingredientes para preparar 3 pratos para um jantar super divertido, em celebração ao nosso Glutenfree Summer 2016! Na lista de compras, diversos produtos da Schär, é claro! Marta não resistiu quando viu uma embalagem de risoles congelados. Ela parecia uma criança pedindo "Posso levar estes? Por favor, a última vez que comi eu ainda era uma menina!" Hehehe... todos sabemos qual é esta sensação, não é mesmo?! Risoles no carrinho! Pegamos ainda uma caixa de massa folhada congelada - para fazer uma quiche de brócolis e tomates - e um pacote de biscoitos Maria - para fazer cheesecake no copinho com mascarpone, cream cheese e frutas vermelhas! Risoles, massa folhada e biscoitos, tudo Schär! Em breve farei um post especial com as receitas que preparamos! Depois das compras, fomos para a vila na Fattoria Santo Stefano, onde Nathalie estava hospedada, e mãos à obra! Cada uma ficou responsável por uma parte, fomos fazendo tudo juntas e em poucos minutos tínhamos uma ceia pronta, maravilhosa e deliciosa! Durante o jantar, passamos horas conversando e dividindo nossas experiências durante a viagem, rimos muito de algumas situações e Jürgen participou, fotografou e filmou este momento, do princípio ao fim! Vocês já podem conferir alguns destes cliques mágicos capturados pelas lente de Jürgen aqui. Não deixem de ver, as fotos estão demais!!!



No último dia em Montaione, me dediquei a conhecê-la, desvendei cada cantinho charmoso e fiz alguns cliques do que mais me chamou a atenção. Montaione é uma cidade pequenina mas cheia de encantos. Além da típica paisagem toscana, as ruas e construções têm uma beleza rústica e simples, mas ao mesmo tempo, muito delicada. Pra me fazer ainda mais feliz, a única sorveteria aberta no domingo, I'Di...Vino, tinha casquinhas sem glúten! No jantar, encontrei um restaurante que tinha opções de pães e massas sem glúten, Osteria del Pesce Rosso. Desta vez escolhi um spaghetti com frutos do mar delicioso!!! Hummm


E assim foi minha passagem por Montaione! Próxima - e última! - parada, Barberino di Mugello! Sigam-me os bons!

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

#9 Orvieto

Welcome to Orvieto!

Nos dias que viajo, geralmente fico um pouco mais cansada e desejando uma boa acolhida na minha chegada. E foi exatamente o que encontrei no UNAWAY Hotel Fabro, a aproximadamente 20 km de Orvieto. Com os produtos da Schär e outras delícias que comprei na viagem, montei um super piquenique no meu próprio quarto e pude relaxar. Mais tarde, fui jantar no restaurante do hotel e assim eu pude dormir feliz e tranquila para passear bastante no próximo dia. Minha avaliação completa sobre este hotel já está disponível no site GlutenfreeRoads.



 

Minha estadia em Orvieto foi curta, mas suficiente para me fazer querer voltar! No dia que passei na cidade, visitei cantinhos especiais e tão lindos que é difícil acreditar que uma cidadezinha tão pequena possa ser tão rica de preciosidades. Eu visitei a Fortezza di Albornoz e curti a bela vista das vinhas. Orvieto e suas redondezas são reconhecidas por suas famosas vinícolas. Então, praticamente para qualquer lado que você olhar, vai ver as vinhas. E também plantações de azeitonas, para a fabricação de azeite! Em seguida fui ao local onde está o Pozzo di San Patrizio, uma construção engenhosa de quase 500 anos, com 53 m de profundidade e 13 m de diâmetro. O poço tem 248 degraus e 70 janelas, construídas para fornecer iluminação. Vi ainda o espetacular Duomo, todo trabalhado em dourado e cores muito vivas e brilhantes. Para almoçar, encontrei o restaurante Antica Cantina, que serve pratos especiais para celíacos e comi um delicioso spaghetti. De sobremesa, gelato! Hummm!


No último dia em Orvieto, eu não poderia deixar de ir visitar uma vinícola! Fui à Tenuta Corini, em Montegabbione, uma cidadezinha próxima. O gentil proprietário, Stefano, me explicou tudo sobre a história de sua vinícola e me contou sobre seu amor pelos vinhos. Me mostrou também o processo produtivo do início ao fim, enquanto eu visitava sua propriedade. Conversamos bastante, eu degustei uma pequena tacinha de um de seus vinhos brancos (pois iria dirigir em seguida). Ao final, ele me deu de presente um de seus tintos de uma safra especial, para eu levar para o Brasil. Foi um prazer tão grande visitar esta vinícola, que pretendo voltar um dia com meu amor Julian e com minha mãe, dois apaixonados por vinhos. Tenho certeza que vão gostar! Antes de me despedir de Orvieto, retornei a Fabro e visitei um restaurante que me foi recomendado pela "Glutenfree Girl" Marta, Aroma - Locanda dei Sapori, que tem opções para celíacos e oferece uma culinária bem especial.


E assim foi minha passagem por Orvieto! Próxima parada, Montaione! Sigam-me os bons!

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

#8 Bari

Welcome to Bari!

Peguei a estrada novamente, desta vez em direção a Bari. No caminho, é possível perceber claramente a mudança da paisagem quando passamos da região da Campania para a Puglia. Uma beleza! Logo que cheguei ao UNA Hotel Regina, surpresa: que lugar mais maravilhoso!!! Depois de reconhecer a área, me acomodei e fui jantar. O jantar também foi surpreendentemente delicioso! Minha avaliação completa sobre este hotel já está disponível no site GlutenfreeRoads.




No dia seguinte, eu aproveitei o ambiente super agradável do hotel para relaxar, curtir à beira da piscina e atualizar meus posts. De manhã tomei um café da manhã bem especial (assim como nos outros dias, né?). No almoço, experimentei um tipo de massa típica da região da Puglia: orecchiette, que se parece com orelhinhas. Pra fechar o dia, fui conhecer um novo Mr. Free Pizza Point em Rutigliano, cidade vizinha a Bari. Pizza deliciosa! Vejam minha avaliação sobre esta pizzaria no site GlutenfreeRoads.




Fui então conhecer Bari! Tomei um trem na estação de Torre a Mare e em 10 minutos cheguei na estação Bari Centrale. Que cidade linda! De um lado você pode ver a porção mais antiga, do outro lado muita sofisticação e lojas de grife e, para arrematar, tem o porto e a incrível beira-mar (lungomare). Minha primeira parada foi na Città Vecchia. Eu vi a Cathedral, o Castello Normanno-Svevo e me perdi pelas ruazinhas e praças. Uma delícia de passeio!


Depois deste passeio, já era hora de almoçar e com a ajuda do aplicativo GfrApp eu encontrei um lugar super especial, que já se tornou um dos meus favoritos nesta viagem! A gentil proprietária, Isa, me recebeu com todo o carinho e ficou fascinada com o fato de eu ter saído do Brasil para chegar até a sua padaria/confeitaria/café/bistrot. É difícil definir do que se trata o local da Isa, pois aquilo mais parece um sonho! Em poucos metros quadrados ela tem um ambiente super fofo e acolhedor, e a maior concentração de produtos gluten free por metro quadrado que eu já vi até agora, variando desde industrializados, congelados, frescos, artesanais e de fabricação própria. Focaccia, pizza, pães variados, quiches, salgadinhos, tortas doces, eclairs, biscoitinhos recheados, tiramisù, canudinhos recheados, muffins e cupcakes, tudo o que você sonhar, ela tem! E é tudo tudo tudo sem glúten! Eu provei tudo o que eu pude e achei tudo delicioso. Antes de ir embora, tiramos uma foto juntas para nos lembrarmos sempre desse encontro! Vejam minha avaliação no site GlutenfreeRoads!



Para concluir minha passagem por Bari, passei pelo Corso Vittorio Emanuele até chegar a lungomare. No passeio a beira-mar comprovei que um dos cartões postais da cidade, a vista do porto, é realmente de tirar o fôlego. A água tem uma cor linda, e há diversos banquinhos onde você pode se assentar e contemplar com tranquilidade o som, o cheiro, a brisa e a beleza do mar. Tive um dia muito gostoso!


E assim foi minha passagem por Bari! Próxima parada, Orvieto! Sigam-me os bons!

domingo, 21 de agosto de 2016

#7 Napoli

Welcome to Napoli!

Após uma longa viagem, tive um descanso merecido! A chegada ao UNA Hotel Napoli foi tranquila e segura, mas após quase 6 horas de estrada (com parada pra pizza!), cheguei cansada. Minha escolha para o jantar não podia ser melhor: pedi pelo serviço de quarto um macarrão com vôngoles e tomates delicioso, um dos pratos mais gostosos que experimentei nesta viagem. No dia seguinte, tive momentos relaxantes durante o café, com uma bela vista da cidade! Minha avaliação completa sobre este hotel já está disponível no site GlutenfreeRoads.




No dia seguinte, passeei pelas ruazinhas estreitas típicas de Napoli e visitei alguns dos principiais pontos turísticos do centro da cidade: Castel Nuovo - Maschio Angioino, Piazza Municipio e Fontana del Nettuno, Galleria Umberto I e a área do porto. Eu também visitei um Mr. Free Pizza Point e experimentei minha primeira pizza napolitana! Vejam minha avaliação completa sobre esta pizzaria no site GlutenfreeRoads.




O próximo dia dediquei a visitar Pompei, um sítio arqueológio escondido... A 22 km de Nápoles, Pompei é um tesouro a ser descoberto! Considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO, esta antiga cidade foi soterrada pelas cinzas geradas na erupção do Vesúvio e ficou escondida por 1600 anos (!!!!) até ser descoberta por acaso. A cidade permaneceu intacta, protegida pelas cinzas. Podemos passear por todo o sítio, ver as construções e estátuas da época - réplicas, pois as originais estão em museus. Depois do passeio, fui comer uma pizza numa rede de restaurantes que tem parceira com a Schär, oferecendo várias opções de pizza sem glúten! Vejam no site do GlutenfreeRoads a minha avaliação sobre esta pizzaria.




E antes de me despedir de Napoli, fui visitar Ischia, uma ilha dos sonhos. Desde que conheci Capri, Ischia entrou na lista dos desejos... Fiz esta fantástica viagem acompanhada pela Schär! Acordei cedinho, preparei minha bolsa de praia repleta de produtos gluten free e fui para o porto pegar o ferry até Ischia. A viagem em si já foi um passeio maravilhoso! Vi lindas paisagens até chegar na ilha. Lá em Ischia, dei algumas voltas pela cidade, encontrei duas sorveterias que tinham sorvete e casquinha sem glúten (!!!!) e passei o dia todo no mar, na areia e aproveitando este lindo dia de sol!



E assim foi minha passagem por Napoli! Próxima parada, Bari! Sigam-me os bons!